Psicólogo / Psicanalista Clínico ABMP Nº 04909-09
SOBRE O PSICANALISTA
apresentação
ATENDIMENTO
faça o seu agendamento
CONTATO
fale conosco
Como lhe dar com a saudade...
O saudosismo do sujeito romântico e do sujeito pós-moderno se manifesta por imagens e temas...

A saudade é vista em uma perspectiva experiencial por todos os homens em todas as culturas. Esta maneira caracteristicamente humana de se relacionar com o mundo, se manifesta na sensibilidade em perceber a distância, o passado em seu aspecto subjetivo e singular. Com atitude de um espírito inconformado em face da vida, a saudade revela o esgotamento de um presente que já não pode ser totalmente pleno. Entretanto, sua força pode também gerar o efeito contrário e nos levar a um estado de paralisia absoluta em que oscilam alegria e tristeza.Não permita Deus que eu morra, sem que eu volte para lá...?

A maneira pela qual o imaginário ocidental tem pensado e "sentido" a saudade, com várias dimensões próprias é inseparável de certo modo de ser e estar no mundo.

Saudade na experiência humana permite elaborar uma definição capaz de aprender seus elementos constitutivos sem apagar as especificidades históricas.

 

"Não permita Deus que eu morra,

Sem que eu volte para lá;

Sem que desfrute os primores

Que qu`inda aviste as palavras,

Onde canta o Sabiá."

("canção do exílio", Gonçalves Dias)

 

A atitude romântica ligada ao saudosismo se expressa, principalmente, pelo intimismo e também pela idéia de que a saudade, sempre despertará reações originais e totalmente novas, embora ela seja um sentimento recorrente que sempre acompanha o sujeito romântico. O escapismo, tão característico da estética romântica, é apresentado como o desejo de fugir da realidade para um mundo idealizado, criado a própria imagem e semelhança do eu - lírico, à imagem de suas emoções e desejos, mediante a imaginação:

 

"Oh! Que saudade que tenho,

Da aurora da minha vida,

Da minha infância querida

Que os anos não trazem mais!

Que amor, que sonhos, que flores,

Naquelas tardes fagueiras

A sombra das bananeiras,

Debaixo dos laranjais"

("Meus oito anos", Casimiro de Abreu)

 

Há uma aproximação no sentido psicanalítico de melancolia; entretanto, sem a carga patológica que os estudos freudianos ou a Ciência médica, em geral, a ela conferiram. Saudade será dessa forma, uma "reação à perda do objeto amado" (Freud, luto e melancolia. 1996) ou ainda, "o desejo de recuperar algo que foi perdido". (Freud, luto e melancolia. 1996), porque só podemos sentir saudade daquilo a que um dia experienciamos de forma amorosa em que se mesclam "alegria, desejo e tristeza".

Saudade como este modo de ser e estar no mundo e pensada a partir da estética romântica sugeriu diferenças qualitativas na maneira pela quais sujeitos historicamente situados a experienciam.

Isto demonstra que pode se constituir questões relacionadas ao modo de inserção do individuo no mundo pós-moderno. E neste mesmo sentido, que se percebem tensões, contradições e ambigüidades da experiência deste sujeito pós-moderno enquanto ser social e político.

O saudosismo do sujeito romântico e do sujeito pós-moderno se manifesta por imagens e temas, razoavelmente semelhantes, como a idealização da infância, do amor à terra natal, etc. Entretanto, enquanto o sujeito romântico acredita poder um dia alcançar a realidade por ele idealizada e atribui a superação do seu mal-estar à volta ao passado, o sujeito pós-moderno tem consciência de que nunca poderá voltar ao passado e que a origem de seu mal-estar, talvez, esteja vinculada à sua consciência de que jamais poderá regressar ao tempo em que o prazer e a alegria estavam presentes. Sendo assim, a pós-modernidade deve ser entendida não apenas como o culto pelo novo ou como um processo de "destradicionalização", mas como uma constante relação de conflito entre o novo e a tradição a partir do qual se cria novas possibilidades de experienciar à realidade.

 

RONALDO DE MATTOS - PSICANALISTA CLÍNICO

 

em 09/10/2013

Voltar

Principal / Pense comigo / Contato / Agenda online
www.ronaldodemattos.com - Todos os direitos reservados 2009 - 2013