Psicólogo / Psicanalista Clínico ABMP Nº 04909-09
SOBRE O PSICANALISTA
apresentação
ATENDIMENTO
faça o seu agendamento
CONTATO
fale conosco
A imaginação é tão poderosa
Não precisamos sequer construir um modelo de amado ou amada para pensarmos...

Em muitos momentos, nós nos encontramos reféns de desejos que nos toma por circunstancias ou mesmo por falta delas... Um que em grande parte somos tomados é o desejo do parceiro ou parceira amorosos(a) que trazemos dês de nossa infância.

Tudo acontece em um espaço só nosso, os personagens envolvidos, o enredo da fantasia, os sabores, os toques, o desejo... 

A vantagem de realizar essa mudança através do pensamento amoroso é que ela pode acontecer sem qualquer colaboração de nossa parte.

Não precisamos sequer construir um modelo de amado ou amada para pensarmos... Podemos perfeitamente mantê-los sem face, ou atribuir-lhe de forma vaga e alternada belos rostos que nos atraem...

Quanto ao corpo, qualquer lembrança nos satisfaz... Mas até menos do que isso, para nos alimentar, a ilusão de uma sensação tátil agradável, de uma pele gêmea, de um corpo limpo e essencial...

O mais importante, porém, é que o aparecimento de um amor pode se dar de repente, sem aviso prévio, mesmo nas circunstâncias mais adversas (quem, doente, ferida ou ferido, já não fantasiou o aparecimento de um(a) irresistível medico(a)/ Príncipe ou aquela mulher dos sonhos?)

E não requer nada de nós. Basta estarmos vivos para que possa acontecer... Em alguns momentos esperamos que o amor caia sobre nós e nos deixe com uma súbita zonzeira... 

Não espanta, pois, que seja nossa fantasia favorita. Qualquer outra nos obriga a gestos, ainda que mínimos. Para imaginarmos que ganhamos a loteria precisamos pelo menos jogar...

Para sonhar com uma promoção no emprego temos que nos esforçar para merece-lo(a). E é impossível pensar gulosamente em tudo que faríamos com o dinheiro de um prêmio se não entrarmos no concurso.

Enfim, entre todas as fantasias possíveis, a do amor mágico é a única que não nos obriga a tomar iniciativa. E isso até mesmo no nível mental, porque não precisamos sequer pensar em ter que tomá-las. 

A imaginação é tão poderosa que, em certos casos, bastaria ter que pensar nas iniciativas necessárias para nos mergulhar em ansiedade, quer pelo medo de ter que tomá-las, quer por sabê-las impossíveis...

 

Ronaldo de Mattos - Psicanalista Clinico

em 13/03/2013

Voltar

Principal / Pense comigo / Contato / Agenda online
www.ronaldodemattos.com - Todos os direitos reservados 2009 - 2013