Psicólogo / Psicanalista Clínico ABMP Nº 04909-09
SOBRE O PSICANALISTA
apresentação
ATENDIMENTO
faça o seu agendamento
CONTATO
fale conosco
Parece fácil e tentador...
De repente tudo parece fácil e tentador... E pode bastar pouco para que o desejo de voltar se cristalize em perguntas e ansiedades...

O homem que você já amou cruza um dia seu caminho... Não é um homem qualquer... O código secreto estabelecido ao logo do amor ainda não se apagou, sorrisos e gestos penetram em intimidades não ditas...

De repente tudo parece fácil e tentador... E pode bastar pouco para que o desejo de voltar se cristalize em perguntas e ansiedades... ?

O que te atrai naquele homem? Em parte, aquilo tudo que já atraiu uma vez... Mas sobretudo a facilidade do conhecido... É bem mais tranquilizador passear na horta do vizinho do que em matos nunca dantes visitados... 

A horta não é perfeita, você sabe, já desistiu dela uma vez... Porém, com alguns arranjos... Basta plantar alguma coisa ali, erradicar outra acolá, aplainar um pouco, e botar o sol para brilhar... Afinal, você já plantou ali, já sabe o que esperar...

Bem pior nos parece o desconhecido, onde tudo pode acontecer, onde teremos que andar com cuidado, e à custa da sua própria segurança começar os mínimos reconhecimentos... 

Medo, retraimento, quase preguiça de armar mais uma vez seus sentimentos, nossos humanos pertences, e a partir em safári, pesquisando e sendo pesquisada na busca daquilo que talvez nem existia...

Assim banhadas de otimismo e boas intenções, recomeça tudo... Mas onde um amor interrompido recomeça? Não é no principio como gostaríamos, naquele principio emocionado em que todo avanço era uma aventura feita para dar certo...

Seria bom, mas não é possível, muito aconteceu depois disso... Não há de ser no meio, quando as coisas ainda iam bem mas nem tanto, e os dois começavam a riscar o traçado de suas desavenças...

É pelo fim que a gente retoma a meada? Por aquele último período doido, de muita tristeza, que nem gostamos de lembrar? Não, por ali não pode ser... Por onde então?

Ai está um dos pontos básicos da segunda tentativa... Um amor não se retoma, como se retoma o livro na página marcada...

Um amor tem que ser refeito, feito outra vez, com outro princípio e meio... Só assim que evita-se que tenha o mesmo fim...

 

Ronaldo de Mattos - Psicanalista Clínico

em 20/05/2013

Voltar

Principal / Pense comigo / Contato / Agenda online
www.ronaldodemattos.com - Todos os direitos reservados 2009 - 2013