Psicólogo / Psicanalista Clínico ABMP Nº 04909-09
SOBRE O PSICANALISTA
apresentação
ATENDIMENTO
faça o seu agendamento
CONTATO
fale conosco
Tudo foi uma maravilha...
Sabemos que a primeira noite de um casal tem um rendimento reduzido...

A tendência geral é dizer que tudo foi uma maravilha, que o homem era um artista na cama, que a noite se ecoou entre suspiros de felicidade, que ninguém dormiu... E mesmo as pessoas mais discretas, as que não falam. Tratam logo de dar um sorriso mais revelador do que qualquer palavra, trucado ao fim por uma risadinha de suposto constrangimento...

A fantasia de prazer total é reforçada pelo mito das “devoradoras de homens”, hoje feito mais concreto através de entrevistas, depoimentos, memórias... 

Essa pode ser a realidade de certas pessoas... Pessoas que, porém, são raras, pois a maioria das mulheres se satisfaz menos facilmente... Sobretudo no primeiro encontro...

Sabemos que a primeira noite de um casal tem um rendimento reduzido. Há um mínimo, por mínimo, que seja constrangimento... Há uma tensão natural... A noite de amor a ser encenada nunca foi ensaiada antes com aquela parceira... E há, sobretudo, mesmo para as pessoas mais descontraídas, o desconhecimento dos corpos... 

Nunca antes aqueles corpos se encontraram, se tocaram... Impossível saber de antemão os pontos mais sensíveis, conhecer o lugar em que a resposta à carícia é mais imediata... Difícil, na necessidade de ritmos perfeitos, adquirir tão rapidamente a adequação ao ritmo do outro...

A probabilidade maior, portanto é que, o encontro passageiro que visa, sobretudo à satisfação sexual, essa satisfação seja precária...

Mas os homens acham ótimo...?

Esta é outra lenda, e das mais perigosas...

Temos como único dado realmente concreto, o fato de que os homens costumam completar o ato sexual com mais frequência do que as mulheres. Por completar entende-se chegar a ejaculação... 

Mas seria apenas a ejaculação equivalente a um orgasmo pleno? E seriam todas as ejaculações, igualmente prazerosas? Tudo nos leva a crer que não.

Existe, para os homens uma facilidade social. Eles ao contrário das mulheres são preparados para quantidade (e em alguns bons casos algumas mulheres também), e toda noite, por mais passageira que seja, conta ponto favorável em seu curriculum sexual... Eles, ao contrário das mulheres, foram “criados para isso”.

Mas no fundo, o amor de uma única noite não agrada a eles mais do que agrada as mulheres...

Para nós homens também pode ser uma experiência frustrante... Para nós também a manhã pode ter gosto de ressaca... Não fosse assim, passaria a vida pousando de boca em boca, sem se prender em nenhuma...

 

Ronaldo de Mattos - Psicanalista Clínico

em 20/05/2013

Voltar

Principal / Pense comigo / Contato / Agenda online
www.ronaldodemattos.com - Todos os direitos reservados 2009 - 2013