Psicólogo / Psicanalista Clínico ABMP Nº 04909-09
SOBRE O PSICANALISTA
apresentação
ATENDIMENTO
faça o seu agendamento
CONTATO
fale conosco
Carta - Namoro um homem inferior
Até hoje só tive um namorado que é mais novo que eu. E tenho um constrangimento do nosso namoro, porque ele é feirante e nem terminou a 5ª série, enquanto eu tenho nível superior...


 

Dr. Ronaldo de Mattos, fiquei feliz em saber que posso mandar um e-mail para o senhor e ter um conselho seu sem pagar nada... rsrsrs

Admiro a área que o senhor trabalhar e venho lendo seus textos, confesso que no inicio eles eram muito profundos e tinha que ler umas três vezes para entender. Hoje são mais fáceis pra mim.

Gostaria muito que o senhor responde-se meu e-mail pois estou me sentindo muito triste com tudo que está acontecendo.

Até hoje só tive um namorado que é mais novo que eu. E tenho um constrangimento do nosso namoro, porque ele é feirante e nem terminou a 5ª série, enquanto eu tenho nível superior.

Aos 25 anos sou muito infeliz. Os namorados das minhas amigas são formados, têm bons empregos. Apesar de amá-lo muito, é constrangedor sairmos com outros casais, porque a conversa é diferente entre pessoas formadas e não formadas.

Além disso, quando criança sofri um acidente de carro que atingiu minha espinha, e hoje sou um pouco corcunda, problema que vem se agravando com a idade.

Sei que, se terminar com ele, vou sofrer muito. Estamos até falando em casamento, mas estou muito indecisa.

 

RESPOSTA

 

 

Obrigado pelo carinho e por ter enviando seu e-mail, acredito que a oportunidade de ter acesso a um profissional, mesmo que seja para tirar uma duvida ou ter um conselho é melhor do que ouvir várias pessoas que não estarão olhando realmente pra você... E melhor de graça... Rsrsrsrsrs 

Agora vamos lá. Se você fosse homem, não teria o menor constrangimento de está amando uma pessoa mais nova que você, e socialmente inferior. Muito pelo contrário. Acharia ótima a diferença de idade e gostaria muito de poder ensinar tudo à sua amada, moldando-a de acordo com seu gosto.

Mas as convenções sociais não são as mesmas para homens e mulheres. E como você diz gostar do seu namorado, fica evidente que seu constrangimento se prende mais às convenções do que aos sentimentos.

Sendo mulher você foi treinada para não casar apenas com um homem , mas também com o que ele representa na sociedade, com seu valor social. E não por mercantilismo, mas por garantia, já que a ele caberia, não só sustentar você e os filhos que viessem a ter, mas avalizar vocês socialmente. 

Hoje, isso não tem mais razão de ser, porque uma mulher não precisa mais de aval, e pode perfeitamente se sustentar sozinha. Entretanto, os resíduos do passado continuam em nós, e é por conta deles que você se sente envergonhada quando sai com seu namorado e os sofisticados casais formados por suas amigas.

No fundo, você não sente vergonha dele, mas de si mesma, como sentiria se tivesse cometido uma gafe, ou derrubado um copo de vinho à mesa.Você se sente quase amedrontada por ter infrigido uma regra, sem que seja muito claro a penalidade a pagar.

Mas será que os homens superiores são tão superiores assim? Suponhamos que seu namorado tivesse feito não só a faculdade, mas o mestrado, doutorado, e vários cursos de aperfeiçoamento. 

Isso certamente impressionaria muito bem as suas amigas, e permitiria conversas excelentes, mas faria dele um homem superior?

Conheço muitas mulheres que se casaram com homens cotadissimos no mercado matrimonial, para descobrirem depois que suas qualidades eram muito mais para uso externo do que reais. E conheço também inúmeras mulheres que casaram com homens aparentemente bem mais fortes do que elas, e ao longo do casamento descobriram que debaixo da capa de super-homem eram fracos e cheios de carências.

Os homens são criados para demonstrarem eficiência e solidez. Mas o casamento não vive de demonstrações, e sim de realidade. Toda vez que uma mulher escolhe um homem por achá-lo poderoso e protetor, corre o risco de se decepcionar. Mas quando uma mulher escolhe um homem porque ele é bom, doce e natural, porque não conta vantagem, tem grandes possibilidades de descobrir nele uma pessoa centrada, segura e, como tal, forte.

A conversa do seu namorado não lhe parece à altura da conversa dos namorados das suas amigas porque eles são formados, e ele não. Mas se você tivesse certeza de que os namorados das suas amigas são melhores do que o seu namorado, se apaixonaria por um deles, mesmo não sendo retribuída.

Essas mesmas conversas que você acha meio sem graça para os seus amigos, parecem ter porém, para você, grandes encantos. E talvez, não só por trata-se de conversas a dois , de amor, mas porque uma pessoa sem cultura pode perfeitamente ter a experiência de vida, inteligencia e sagacidade capazes de torná-la muito sedutora.

Há porém um dado que não quero ignorar. Você está infeliz. Apesar de estar apaixonada por alguém que ama. E não apenas pela aparente inferioridade dele. 

Mas por alguma coisa vital, e não dita. Você sofre, sem explicar o sofrimento, porque há uma área escura nessa relação. É aquela área em que você evita se perguntar se estaria namorando um homem "inferior" porque, devido ao seu problema nas costas, não se acha com direito a outro "melhor". E, da mesma forma, evita se perguntar se ele próprio não estaria namorando você apesar do seu problema físico, apenas porque isso representa para ele uma ascensão social.

Essas perguntas caladas, tão dolorosas, confundem seus sentimentos. E lhe tiram a segurança de que precisa para enfrentar o julgamento das suas amigas. Mas você só vai poder respondê-las se as formular claramente. E só vai poder ser feliz depois que as responder.

Se você quiser e achar interessante, eu aconselho uma terapia. Se quiser entre em contato comigo e passo a indicação de alguns amigos e amigas para você melhor escolher com quem se sentirá bem para ser atendida.

Um abraço e espero ter ajudado.

 

Ronaldo de Mattos - Psicanalista Clínico

em 06/06/2013

Voltar

Principal / Pense comigo / Contato / Agenda online
www.ronaldodemattos.com - Todos os direitos reservados 2009 - 2013