Psicólogo / Psicanalista Clínico ABMP Nº 04909-09
SOBRE O PSICANALISTA
apresentação
ATENDIMENTO
faça o seu agendamento
CONTATO
fale conosco
Qual é a sua opinião? Ela pode mudar?
Opiniões fixas são na verdade em muitos casos falsas e perigosas. Pois o mundo não se fez ficando parado, nem é ancoradas a idéias...

Quando passei a me entender como gente, e decidir o que queria, sempre fui de opinião muito clara e objetiva. Pensava que não tinha o direito de mudar de idéia, afinal, ela se instalou por um bom motivo.

Opinião é feito navio, a gente não abandona, afunda com ela se for preciso. Foi o que pensei desde criança, desde quando me convenceram de que assim estava certo.

A vida pensava eu, era pra ser levada na base do "repete se você é homem", e a gente ali, homem paca, repetindo incansável e heroicamente, agarrado naquele ponto de vista, fazendo da manutenção da opinião uma questão de honra, quando honra ainda era fundamental.

Foi isso que me disseram, e foi nisso que acreditei até certa hora. Depois pulei fora. Agora convivo serenamente com a evidência de que as minhas opiniões não são definitivas.

E como o poeta americano Walt Whitman, tem repetido frequentemente: "Você diz que eu me contradigo. Sim, eu me contradigo mesmo."

Os trilhos da vida, porém, não são tão paralelos. Crescemos, aprendemos, e de repente aquela bitolinha fica estreita demais, e o caminho traçado, que acreditávamos tão exclusivo, revela-se apenas um, entre tantos. É hora de mudar.

É hora, mas hesitamos: é? Seria? Não é? A incerteza nos pega pelo pé, o medo nos abocanha pelo estômago. E os preconceitos cravados na nuca, no pé do ouvido, murmuram que mudar de opinião é sinônimo de inconstância, que o bonito é manter-se firme nas próprias opiniões.

Ontem foi um dia desses, dia de decisões e lá estava ela. Minha opinião fortificada em argumentos teóricos e práticos sobre o assunto.

Ai naquele momento entre a certeza e a duvida liguei para um amigo e conversamos por cerca de 1:30 hora. Resultado? Agradeci sua amizade naquele momento e sai com uma nova opinião. Opiniões fixas são na verdade em muitos casos falsas e perigosas. Pois o mundo não se fez ficando parado, nem é ancoradas a idéias já superadas que encontraremos nosso crescimento.

"Só os parvos não mudam" rebateu Rui Barbosa certa vez, ao ser acusado de mudar de idéia. A frase certamente não agradou às multidões, e muito menos a quem o acusava.

Ninguém gosta de ser chamado de parvo. Mas, apesar de ser um ato inteligente, qualquer mudança de opinião encontra grandes resistências.

Resistências de fora, em primeiro lugar. Os outros, ou seja, a sociedade como um todo, não costuma gostar de pessoas questionadoras. É o mesmo fenômeno da sala. Tudo é mais fácil quando ocupa apenas um espaço já estabelecido.

Tudo é mais controlável. Uma pessoa que não pergunta o porquê das coisas, uma pessoa que não procura a própria verdade é certamente uma pessoa obediente, fácil de ser conduzida pelos caminhos que os donos do poder houverem por bem lhe alcançar.

Da mesma forma, uma pessoa que, embora tendo questionado algumas verdades iniciais, "empaca" numa verdade que estabelece como sendo a única verdadeira e imutável, é uma pessoa previsível, em relação à qual podem-se armar os esquemas.

A pessoa questionadora, a que está sempre repensando as coisas e procurando novos ângulos de visão, esta não é uma mobília bem comportada, um sofá em esquadro, é um ponto de interrogação no meio da sala, e exigir dos outros identifica dinâmica.

E esta dinâmica os outros, enquanto maioria, não têm, e não querem ter. Porque essa dinâmica assusta.

E sobre isso vou falar em outro momento... Aceite a possibilidade da mudança e será muito feliz!

 

Ronaldo de Mattos - Psicanalista Clínico

em 22/10/2013

Voltar

Principal / Pense comigo / Contato / Agenda online
www.ronaldodemattos.com - Todos os direitos reservados 2009 - 2013