Psicólogo / Psicanalista Clínico ABMP Nº 04909-09
SOBRE O PSICANALISTA
apresentação
ATENDIMENTO
faça o seu agendamento
CONTATO
fale conosco
Esquizofrenia um tema a ser abordado
Dez milhões são classificados como “Doentes mentais”, e mais de 50.000 são admitidos para tratamento em hospitais mentais a cada dia.

De acordo com o United States Institute Of Mental Health, um em cada dez americanos sofre de algum tipo de desequilíbrio mental ou emocional. Meio milhões de americanos estão internados em hospitais mentais. Dez milhões são classificados como “Doentes mentais”, e mais de 50.000 são admitidos para tratamento em hospitais mentais a cada dia.

Dois em cada três leitos de hospitais são ocupados por pacientes mentais. A estimativa mais modesta de suicídios nos Estados Unidos chega a 250.000 casos por ano.

No entanto, sabe-se que as tentativas de suicídio chegam a dez vezes este número. Cinco por cento da população adulta é considerada “alcoólatra”.

De acordo com o programa Menninger para reabilitação de alcoólatras, o estilo de vida dessas pessoas é caracterizado por um isolamento emocional intenso e doloroso em relação aos amigos, acompanhado de medo, desconfiança, culpa e vergonha.

A segunda maior causa da mortalidade infantil nos EUA está relacionada aos maus tratos.

“É importante sabermos que os problemas mentais e emocionais aos quais estou nos referindo são classificados como “orgânicos” ou funcionais”. Perturbações orgânicas são aquelas que resultam de alguma deficiência no organismo físico, tais como mongolismo, retardo senilidade. E problemas funcionais. Abrangem um largo aspecto dos mais graves aos mais leves. A forma mais grave de perturbação funcional é a “psicose”, uma cisão ou divisão entre a pessoa e o mundo real.

A forma mais leve e comum de problema ou desequilíbrio funcional é denominada “neurose”. A pessoa neurótica está em contato com a realidade e de viver em paz. O neurótico tem reações exageradas a certas pessoas lugares ou coisas que podem estar relacionadas ao trabalho, família ou saúde.

Se as pessoas neuróticas não conseguirem distinguir suas necessidades emocionais da fome física, podem se tornar “comedores” compulsivos. Se não tiverem livres para sentir e expressar suas emoções, podem descarregá-las de maneira destrutiva em seu próprio corpo, provocando problemas de saúde, ou podem deslocá-las de para espectadores inocentes.

Podem também estar sempre irritado ter explosões emocionais incontroláveis ou crise de choro. Logicamente estes sinais são apenas sintomas e não causas. As pessoas neuróticas estão em geral cientes de sua condição e dos efeitos que tem sobre os outros. Ainda assim, sentem-se impotentes para mudar as coisas.

A organização mundial de saúde destacou um tipo de desequilíbrio como o maior problema de saúde no mundo: a depressão. A forma mais severa desse distúrbio é chamada “depressão profunda” ou “psicose depressiva”. Se esta se alterna com períodos de exaltação, excitação e atividade intensa, esta condição de “altos e baixos” é denominada “estado maníaco-depressivo”. 

A maioria das pessoas que sofre de depressão experimenta sentimentos de solidão e, em especial, de desamparo e inutilidade. No geral sentem-se sem valor e cheias de culpa. Quando se tornam desgastadas por estas emoções de depressão e mostram pouco interesse pela vida e pelas pessoas, experimentam o que chamamos de “colapso nervoso”.

As mulheres sofrem  mais de depressão do que os homens, e o índice de suicídio entre os deprimidos é trinta e seis por cento maiores do que entre a população em geral.

A forma mais séria e disseminada de doença mental é a “esquizofrenia”. Nos EUA é a principal causa da hospitalização e estima-se que três em cada cem americanos será afligido por alguma forma de esquizofrenia em algum momento da vida, sendo que a maior incidência ocorre entre os dezesseis e os trinta anos.

Os sintomas mais comuns incluem o isolamento de toda a vida social significativa e a fuga para um mundo interno de fantasias. Os esquizofrênicos estão sempre iludidos sobre a realidade e às vezes alucinam. Há mudanças sérias e marcantes nas percepções dos sentidos, nas reações emocionais e no comportamento em geral.

As pessoas e os objetos assumem uma aparência estranha. A comida e a bebida têm um sabor estranho. Os sons se tornam alto demais ou pouco audíveis. Internamente, o esquizofrênico experimento depressão, tensão e fadiga com freqüência.

Um esquizofrênico paranóico experimenta ilusões de grandeza alternadas com um senso de hostilidade  e um sentimento de estar sendo perseguido. Mas, no cerne, os esquizofrênicos representam mais perigo para eles próprios do que para os outros.

O índice de suicídio entre essas pessoas tão aflitas é 20 vezes maior que o índice normal. De acordo com a opinião geral, um terço dos esquizofrênicos se recupera espontaneamente, um terço permanece sem alteração e um terço se deteriora progressivamente.

No geral, é alguma forma de stress social que precipita esses distúrbios naqueles que já estão  predispostos. Por causa disso, tem havido muitos movimentos de massa em direção em lugares em que não há problemas d tráfego, patrões que pressionam pressões para produção,  relógios e calendários, decisões e regras.

A vida no campo e em comunidade tornou-se muito popular. Aqueles que não conseguem se afastar fisicamente dos estímulos desagradáveis tenta fugirem sonhando acordadas, se embriagando ou usando drogas.

Alguns se refugiam permanentemente no futuro, e vivendo no paraíso de uma manhã cor-de-rosa outros encontram abrigo do stress no intelectualismo-um mundo de livros. Ainda outros vivem na eterna frivolidade, permitindo-se qualquer coisa, exceto “tornarem-se sérios”.

Naturalmente, a suscetibilidade de cada indivíduo ao stress é diferente. Algumas pessoas têm a alta tolerância à frustração e conseguem ingerir o stress em grandes doses. Há algumas que até parecem florescer sob  tensão e vivem sob constante nervosismo.

Outras são frágeis e desestruturam facilmente. Essa maior ou menor suscetibilidade ou stress deve ser relacionado, é claro, ao ambiente e hereditariedade biológica de cada um. Os tipos de casos que vivem a química de nosso corpo e nosso cérebro, nossa dieta e metabolismo - todos são fatores que influenciam nossas habilidades.

Seria uma omissão considerável se não levássemos em conta tudo isso. Uma pessoa com problemas sérios necessita de um diagnostico conduzido por um profissional competente(psiquiatra) e acompanhada de psicanálise por um Psicanalista.

Ronaldo de Mattos - Psicanalista Clínico

 

Referencia Bibliográfica:

United States Institute of Mental Healt

 www.nimh.nih.gov/

Organização Mundial de Saúde

www.opas.org.br

em 12/11/2013

Voltar

Principal / Pense comigo / Contato / Agenda online
www.ronaldodemattos.com - Todos os direitos reservados 2009 - 2013