Psicólogo / Psicanalista Clínico ABMP Nº 04909-09
SOBRE O PSICANALISTA
apresentação
ATENDIMENTO
faça o seu agendamento
CONTATO
fale conosco
ELE ME DEIXOU PERDIDA
Fim de namoro

Quando alguma coisa desaba, a primeira providência da perícia é verificar como havia sido construída. Minha linda, cada vez você se enche de esperança. Esperança de que? 
De que não haja atrito, de que a harmonia seja constante, assim como o desejo. Esperança de que, começando a relação apaixonadamente, ela se mantenha igual para sempre. Seria mais prático se nós acertássemos logo no primeira relação.
Transformando-o no primeiro namoro e no primeiro e ultimo homem. Eliminavam-se assim todas as ansiedades trazidas por novas experiências, todos os sofrimentos provocados por cada nova ruptura.
Não há duvida que da forma de um caminho só, a vida deslizaria mais fácil. Mas embora seja o nosso sonho, seria mesmo tão bom quanto pensamos?
Conheço algumas mulheres que o conseguiram, e não me parecem mais felizes do que aquelas que antes do acerto quebraram muito a cara. Em certas, sinto curiosidade e até alguma melancolia pelo não vivido.
Afinal, acertar de primeira em um amor significa perder todos os outros, e é bem provável que a perda seja maior que o ganho.
Mais ainda assim você se entristece porque, além de frustrar sua esperança, o namoro “dá em nada”. Você escreve isso e é como se me dissesse que o namoro dá numa parede cega, e atrás dele tudo se apaga. Como se me dissesse que lhe deixa saldo nenhum.
A minha experiência é que todo namoro dá em alguma coisa, até mesmo porque cada namoro ou namorada exige de nós um esforço de adaptação, e nesse esforço, não só perdemos peso, sono e ar para outras maleabilidades da vida, como aprendemos a prestar atenção no parceiro ou parceira, ao mesmo tempo em que defendemos nossos interesses.
Em cada namoro avançamos um pouco mais no aprendizado amoroso. E isso, sem duvida, nos modifica. Pessoalmente, não esqueci nenhum dos que tive, e mesmo aqueles que me deram mais sofrimento do que alegrias me ensinaram coisas muitíssimo importantes, e me fizeram passar momentos que não desejaria de modo algum apagar.
Enfim, toda relação de amor dá em alguma coisa, sendo que na maioria das vezes dá exatamente em outra relação amorosa. O que não se pode esperar é que toda paixão dê em casamento. E o que não convém fazer é tomar o casamento como única medida de valor. Um abraço.

 

PSICANALISTA RONALDO DE MATTOS

em 17/03/2015

Voltar

Principal / Pense comigo / Contato / Agenda online
www.ronaldodemattos.com - Todos os direitos reservados 2009 - 2013