Psicólogo / Psicanalista Clínico ABMP Nº 04909-09
SOBRE O PSICANALISTA
apresentação
ATENDIMENTO
faça o seu agendamento
CONTATO
fale conosco
Sexo - E suas reflexões
A maturidade sexual se desenvolve após a puberdade, sendo que na mulher até os trinta anos e no homem, um pouco além...

Raramente os filósofos trataram do sexo como componente do homem. Em o Banquete, de Platão, ao falar da origem do sexo,

Aristófanes expõe o mito dos andróginos, dos quais, por meio de uma separação desejada por Zeus com fins punitivos, ter-se-iam originados os dois sexos complementares, mas as especulações platônicas não versam propriamente sobre o sexo, mas sobre o amor. Na bíblia, Deus, de um só, fez toda a geração dos homens.

Primeiro foi formado Adão e depois Eva que caíram no pecado do fruto proibido.

Sexologia é o estudo da sexualidade, e sexualidade em termos práticos é aquela que traz prazer às pessoas envolvidas, sem prejudicar ou molestar uma delas.

É mais fácil definir sexualidade anormal, que é o comportamento sexual destrutivo para o próprio indivíduo ou para outros, ou está associado à sensação de ansiedade, medo, culpa, ou é compulsivo (com - pulsões).

Em “As pulsões e suas vicissitudes” (1915), Freud define pulsão como um conceito entre o mental e o psicológico, o representante psíquico dos estímulos originados no organismo e que chegam à mente.

Ele sempre se preocupou pois com o estágio dos conhecimentos psicológicos a respeito das pulsões. Estas são portanto forças incontroláveis que determinam as representações inconscientes.

As atividades pulsionais que anseiam pela exteriorização objetiva são na maior parte do tempo deslocadas e explicadas, em nome de uma teoria pronta, verdade inscrita e supostamente inquestionável sobre a natureza humana.

A personalidade do indivíduo está intimamente relacionada à sua sexualidade. Para Freud, todos os impulsos e atividades prazerosas são sexuais. Freud foi o primeiro a descrever o impacto das experiências da infância sobre o caráter do adulto, reconhecendo a atividade e o aprendizado sexual das crianças. A maior causa dos conflitos conjugais está na relação sexual e na sexualidade, confirmando as teorias de Freud sobre a origem das neuroses.

O comportamento sexual é muito variável de pessoa a pessoa, e é influenciado por fatores biológicos, culturais e psicológicos. Participam, ainda, a percepção individual de ser homem ou mulher, e experiências com o sexo ao longo de toda a vida.

A palavra “sexual” tem despertado reações positivas em uns, e negativas em outros, tendo um conceito mais amplo do que “genital” que designa genitália. O “sexo” é a determinação de masculino - macho ou feminino - fêmea. Sexualidade e erotismo têm a mesma significação, ou seja, designam a sexualidade psicofísica, apoderando-se do corpo e da alma com a mesma impulsão.

Freud mostrou que a vida sexual começa logo após o nascimento e que posteriormente na puberdade tem o objetivo à reprodução. Foram observados sinais de atividade corporal e sexual na infância e que estão associados a fenômenos psíquicos, que são representados na vida erótica adulta, tais como a fixação a objetos específicos, ciúmes, etc.

A maturidade sexual se desenvolve após a puberdade, sendo que na mulher até os trinta anos e no homem, um pouco além. Os caracteres sexuais primários dominantes são os órgãos genitais que são definidos na fase fetal, onde no homem estão os testículos que produzem os espermatozóides e na mulher são os ovários, localizados no útero e que produzem os óvulos.

Os caracteres secundários são o conjunto de fatores corporais e psíquicos que diferem um homem de uma mulher, tais como o pênis, vagina, a pele, pelos, força física, etc.

Na fisiologia sexual, temos as glândulas que fabricam substâncias com diversos objetivos, tais como o crescimento, fortalecer a estrutura óssea, despertar o apetite alimentício e sexual.

As glândulas endócrinas não podem lançar suas substâncias (hormônios) par fora do corpo, logo utilizam a corrente sangüínea sendo transportadas para todo o organismo, exercendo controle de várias funções e conseqüentemente, influência sobre o comportamento do indivíduo. As glândulas supra-renais produzem o hormônio androgênio que na puberdade tem a produção aumentada sendo responsável pelo crescimento dos pelos, pênis, testículos, barba, etc.

O timo é a glândula de controle pré-sexual, reguladora do início da sexualidade no homem, devendo regredir e murchar para que se inicie a puberdade. A tireóide garante o vigor ao instinto sexual e a hipófise na dinâmica corporal.

A identidade de gênero é o juízo que o indivíduo tem de sua masculinidade ou feminilidade. A identidade sexual refere-se às características sexuais biológicas (cromossomos, genitália externa, genitália interna, composição hormonal, gônadas e características sexuais secundárias). No desenvolvimento normal formam um padrão único, no qual a pessoa não tem dúvida de seu sexo e apresenta reações biológicas adequadas.

Os órgãos genitais masculinos estão divididos em externos (pênis e bolsa escrotal) e internos (testículos, epidídimo, canais deferentes, vesículas seminais, próstata, canal ejaculatório, uretra e glândula de Cooper). Os órgãos genitais femininos também estão divididos em externos (monte de Vênus, vulva, grandes lábios, pequenos lábios, clitóris, glândulas de Bartholim, Hímen, complacente e elástico, trilabiado, anular, septado, microperfurado, imperfurado e cartilaginoso) e internos (uretra, vagina, útero, trompas de falópio e ovários).
A vida sexual inclui a função de obter prazer das zonas corporais que, subseqüentemente, são postas a serviço da reprodução.

Muitas vezes as duas funções não coincidem completamente, pois existem pessoas que são atraídas por indivíduos do mesmo sexo, desconsiderem o órgão sexual ou tem um interesse muito precoce por seu órgão genital. 

Os transtornos de preferência sexuais ou parafilias são pouco comuns, sendo sempre motivo de debates e questionamentos médicos e filosóficos. Esses transtornos ocupam uma posição clara no contínuo entre o normal e o anormal. Algumas pessoas são perfeitamente integradas às suas parafilias, fazendo parte importante de sua identidade e modo de vida.

Em alguns casos, as parafilias podem acompanhar graves transtornos de personalidade ou psicoses. Como relatamos acima, a palavra sexo tem vários significados: pode indicar o gênero (masculino ou feminino), a atividade sexual e os órgãos genitais.

Já o termo sexualidade, tem uma designação mais complexa, pois abrange todos os pensamentos, emoções e comportamentos relacionados ao sexo. Como sexo e sexualidade envolvem estruturas físicas e psicológicas, e estas estão sujeitas a alterações, a sexualidade dos indivíduos poderá ser comprometida.

Estes comprometimentos podem resultar em disfunções sexuais. As disfunções sexuais definem-se como o não funcionamento ou o mau funcionamento da sexualidade de homens e mulheres. 

As disfunções sexuais masculinas são denominadas: disfunção erétil (antigamente conhecida como impotência sexual); ejaculação precoce ou prematura (falta do controle sobre a ejaculação) e ejaculação retardada (impossibilidade de ejaculação intra-vaginal ou impossibilidade total de ejaculação). 

As disfunções sexuais femininas são denominadas: inibição do desejo sexual; anorgasmia (falta de orgasmo); dispareunia (dor durante a penetração) e vaginismo (contração involuntária dos músculos da vagina que impedem a penetração). As causas destas disfunções sexuais podem ser psicológicas, físicas ou mistas, porém não podemos negar as influências sócio-culturais.

A terapia sexual visa o tratamento destas disfunções e deve ser apropriada às suas causas. Ou seja, se a causa for psíquicas, o tratamento deverá ser feito com psicólogos, psicanalistas, caso seja física o tratamento deverá ser feito com médicos. Já nas causas mistas, é imprescindível o acompanhamento de ambos os profissionais. 

Atualmente existem profissionais especializados em sexologia, e como nova área de atuação de psicólogos, psicanalistas, médicos e pesquisadores, surgiu em função da necessidade de obtenção de maiores conhecimentos sobre temas relevantes para a saúde dos seres humanos.

Ronaldo de Mattos - Psicanalista Clinico

 

em 25/03/2011

Voltar

Principal / Pense comigo / Contato / Agenda online
www.ronaldodemattos.com - Todos os direitos reservados 2009 - 2013