Psicólogo / Psicanalista Clínico ABMP Nº 04909-09
SOBRE O PSICANALISTA
apresentação
ATENDIMENTO
faça o seu agendamento
CONTATO
fale conosco
Psicanálise Infantil
O pequeno Hans, o primeiro a ser analisado, teve grande importância por demonstrar que os métodos psicanalíticos podiam ser aplicados também a crianças pequenas...

Melanie Klein lançou as bases da técnica de analise de crianças e desenvolveu-a, possibilitando nova visão do desenvolvimento infantil. Foi Ela também a responsável por estender a psicanálise clinica a pacientes psicóticos, borderlines e autistas, algo até então desaconselhado por Freud e seus seguidores.

Descobriu que, já nos primeiros anos de vida, as crianças não só experimentam impulsos sexuais e angustias como também sofrem profundas desilusões. Dessa forma, o mito do paraíso da infância e de sua assexualidade sucumbiu diante evidências obtidas na observação clinica.

O inicio da analise infantil não se dá de fato com Klein, mas sim com Freud. O pequeno Hans, o primeiro a ser analisado, teve grande importância por demonstrar que os métodos psicanalíticos podiam ser aplicados também a crianças pequenas.

Esse caso, porém, não contou com a observação direta do psicanalista, a quem coube assentar as linhas gerais do tratamento que foi efetuado pelo pai do menino.

Na opinião de Freud, que acreditava serem incontornáveis as dificuldades técnicas em uma analise com um paciente tão jovem, ninguém mais poderia persuadir uma criança a falar sobre o que sentia.

Segundo ele, o tratamento só pode ocorrer por unir a autoridade de um pai e de um médico, combinando carinho e interesse cientifico, sem o que o método seria ineficaz. O êxito obtido no caso trouxe, no entanto, a esperança de que, prosseguindo-se na analise de crianças pequenas, um conhecimento mais preciso e profundo sobre seu psiquismo seria alcançado. 

Ao iniciar o trabalho com criança e bebês nos anos 20, Klein, desenvolveu um novo instrumental para atendê-las analiticamente, e, como costuma ocorrer no desenvolvimento cientifico, às novas descobertas seguiu-se o uso de uma nova ferramenta: a técnica de brincar.
Por meio dela foi possível alcançar as fixações e experiências mais profundamente recalcadas da criança e exercer uma influência importante em seu desenvolvimento.

A diferença entre este método e o da analise de adultos é puramente técnico, não de princípios, estando em conformidade com as mesmas normas e alcançando os mesmos resultados. A única diferença é que o processo foi adaptado ao psiquismo infantil levando-se em conta seu caráter primitivo. 

Melanie Klein observou que o brincar poderia representar simbolicamente as ansiedades e fantasias da criança e, tendo em vista que não se pode exigir dela que faça associações livres, ela o tratou como equivalente a expressões verbais, manifestação simbólica dos conflitos inconscientes infantis. 

A importância dada por Klein e seus seguidores ao primeiro ano de vida do bebê e suas descobertas sobre os mais primitivos estágios de desenvolvimento acabaram por gerar, em anos recentes, inúmeros projetos e formas de atendimento paralelas, fora do âmbito da clinica propriamente dita.

Alojamento conjunto de bebês e mães nas maternidades, presença dos pais nas enfermarias pediátricas, intervenção precoce nas relações pais-bebês e método canguru (que incentiva o contato pele a pele do bebê prematuro ou baixo peso com a mãe, tendo em vista seu desenvolvimento). Todos esses cuidados e a valorização da tenra infância têm como pano de fundo ensinamentos Kleinianos.

Ronaldo de Mattos – Psicanalista Clinico

em 23/11/2011

Voltar

Principal / Pense comigo / Contato / Agenda online
www.ronaldodemattos.com - Todos os direitos reservados 2009 - 2013